Bagagem Emocional / Crônicas - Mayara Eleuterio Goes

                                     BAGAGEM EMOCIONAL

Todos nós possuímos bagagens emocionais que acumulamos ao longo da vida.
     São as experiências que vivenciamos... tanto as boas, como as ruins.
       Só que acontece que as experiências ruins acabam por se transformar em fardos, e se não soubermos tirar bons proveitos dessas experiências, esses fardos acabam por pesar em nossa mente, e consequentemente refletem em nosso cotidiano, gerando até um atraso de vida.
        Por isso o conselho para hoje é: “Leve em sua bagagem emocional somente aquilo que é essencial para a sua saúde mental.”
Ao longo de nossas vidas, acostumamos a carregar fardos que muitas vezes nem nos pertencem.
São os fardos das decepções, das frustrações, dos problemas alheios que acabamos nos envolvendo. Tem também os fardos da insegurança, do sentimento de incapacidade e inferioridade, e os fardos pesados do medo e arrependimentos que se acumulam e pesam em nossa mente.
Se livrar desses fardos não é tarefa fácil, mas, a dica é: comece se esvaziando de toda mágoa, todo rancor e ressentimento, pois essas coisas além de pesarem a nossa bagagem emocional, ainda enfraquecem o nosso sistema imunológico e nos adoecem.
À medida que você for se esvaziando desses maus sentimentos, a princípio você terá a sensação de vazio, como se você sentisse que não é mais o mesmo... que falta algo em você. Mas logo após, você irá perceber que esse “vazio” de uma certa forma é bom, pois está “sobrando espaço” em sua bagagem, e que esse mesmo espaço poderá ser preenchido com o que realmente importa.
Encha a sua bagagem de perdão, sentimento esse tão importante para nossa saúde mental e para nosso espiritual também. 
Encha sua bagagem de paz de espírito, de gratidão, de fé, de alegrias, sonhos, e de grandes e pequenos momentos de felicidade, como saborear um simples cafezinho na companhia de alguém especial.
Encha sua bagagem de esperança!
Troque a negatividade dos sentimentos ruins pelos pensamentos positivos.
Fazendo isso, você verá a diferença na sua vida. Pois tirando o fardo, a bagagem ficará mais leve, e você terá disposição de ir muito mais longe... em todos os sentidos! ... No sentido pessoal, no sentido profissional, emocional, espiritual... e por ai vai...
Eu acredito no seu potencial. Basta você também acreditar!
E aí, você acredita?

Mayara Eleuterio Goes
Psicanalista, Psicopedagoga, Mestranda 
em Ciência da Educação. Autora do Livro: 
“Reflexões de vida em forma de poesia”.
Proprietária da Clínica de Psicanálise e
Psicopedagogia em Divino-MG. 
Tel. para contato: (32)99991-1998


                             NINGUÉM É INSUBSTITUÍVEL?

 Quem nunca ouviu a famosa frase: “Ninguém é insubstituível” muitas e muitas vezes?
    Mas, será mesmo que todos nós somos substituíveis, como se fossemos descartáveis?
  Minha intenção não é criar polêmica, mas devo dizer que discordo completamente desta frase e vou explicar a razão, expondo minha opinião.
      Quando Deus nos criou, Ele nos fez únicos. 
     Quando Deus fez você, que está lendo esse texto, Ele te fez de uma forma única, com características únicas. É como se Ele tivesse criado você e jogado a fórmula fora.
    Prova disto é que seu DNA é único, suas digitais são únicas. Ou seja, VOCÊ É ÚNICO. Não existe ninguém no mundo igual a você. Mesmo se você tivesse um irmão gêmeo aparentemente idêntico, ainda assim você teria características que são só suas... e de mais ninguém
     Então voltando ao assunto principal desta crônica, você é mesmo insubstituível. 
     Como alguém vai substituir o que é ÚNICO?
     O que pode acontecer é alguém substituir o seu “LUGAR”... JAMAIS VOCÊ!
     Mas como assim, “alguém substituir o meu lugar?”
     Simples!
    Pode substituir o cargo empregatício que você ocupa, executando a função pior ou até melhor que você. Pode substituir o seu lugar enquanto namorada (o), esposa (o), dona de casa, amiga (o), e por aí vai. Mas o que é substituível são os títulos, as funções, o cargo, o lugar... e até mesmo o vazio que essa pessoa deixou. Mas o sentimento e o ser humano em si, esse com certeza não tem como substituir, pois como já havia dito, é ÚNICO. 
    Quem substitui um pai, uma mãe, um filho, um irmão?
    Quem substitui sentimento por outro sentimento idêntico?
    Quem substitui o amor verdadeiro?
    Quem?
    Provavelmente ninguém!
    Ou seja: Somos de fato INSUBISTITUÍVEIS para alguém. 
    E ainda bem que é assim!
    Isso mostra o quanto Deus é detalhista, Perfeito, e como Ele caprichou no individual de cada um... Inclusive no seu, caro leitor!
    Então, se ame, se preze, se estime, se valorize... e seja grato, pois você de fato é ÚNICO. 

Mayara Eleuterio Goes
Psicanalista, Psicopedagoga, Mestranda 
em Ciência da Educação. Autora do Livro: 
“Reflexões de vida em forma de poesia”.
Proprietária da Clínica de Psicanálise e
Psicopedagogia em Divino-MG. 
Tel. para contato: (32)99991-1998


                                        FELICIDADE

   Sonhar torna tudo tão bonito, não é mesmo?
   E é justamente nos pequenos sonhos e nos pequenos anseios, que moram a felicidade!
   As pessoas idealizam tanto uma felicidade perfeita, que muitos até pensam que é impossível ser verdadeiramente feliz.
Mero engano.
   Um dia desses (antes da pandemia), estava em um evento de uma escola, e a professora colocou um áudio do padre Fábio de Melo do qual me fez refletir muito. Nesse áudio o padre falava basicamente sobre felicidade.
    Em um determinado momento da palestra, o padre cantou um trecho da música “Casinha Branca” composta por Gilson. Recordo-me bem da sua fala, destacando como a música começa aparentemente deprimente: “Eu tenho andado tão sozinho ultimamente, que não vejo em minha frente nada que me dê prazer...”, e a canção continua ainda mais profunda: “Sinto cada vez mais longe a felicidade, vendo em minha mocidade tanto sonho perecer...”. Fica claro nesse trecho da música que o autor associa sua felicidade com sonhos da mocidade que ele não conseguiu realizar por algum motivo, e isso o frustrava.
    Porém no refrão a musica começa a ficar mais leve e trás certo alívio, pois nos mostra que a felicidade não é algo impossível de se alcançar: “...Eu queria ter na vida simplesmente um lugar de mato verde pra plantar e pra colher. Ter uma casinha branca de varanda, um quintal e uma janela para ver o sol nascer...”
    O padre Fábio usou essa melodia como exemplo para demonstrar a simplicidade dos sonhos, do desejo do autor da canção. A simplicidade retratada na música era tanta que para ser feliz, ele não precisava de um casarão, mas sim de uma casinha de quintal e uma janela para admirar o sol nascer.
    Ninguém precisa morar em uma mansão ou ser milionário para ser feliz. É claro que o dinheiro é solução para muitas coisas, mas não para todas. O dinheiro proporciona conforto, prazeres e alegrias, mas não a felicidade! Pois a felicidade não depende UNICAMENTE dessas coisas, visto que a felicidade é um estado interno, e ela também pode ser uma escolha.
    Escolha ser feliz!
    Até porque a felicidade pode ser desencadeada com atos simples. 
    A felicidade está nos pequenos detalhes, nas pequenas realizações, nos pequenos gestos. Ela está nos encontros e “re”encontros de família, nos momentos com os amigos, nos passeios, nas viagens, no desfrutar da natureza, nas pequenas e grandes conquistas, na realização de uma atividade que gostamos, nas companhias de pessoas que amamos... dentre outras coisas. 
    A felicidade é isso! Às vezes vem em algo tão simples, tão insignificante, que nem percebemos, daí aquele velho ditado “eu era feliz e não sabia”.
   Não deixe os momentos de felicidade passar por você sem percebê-los, sem valorizá-los. Que nesse novo ano, você possa aproveitar cada sonho, cada realização, por menor que possa parecer. Afinal, sonhar é confortante, realizá-los é revigorante! E não se esqueça a felicidade também está em você! Ela reside dentro de você. Ela só precisa ser estimulada.
   Então, “borá” ser feliz?!
Mayara Eleuterio Goes
Psicanalista, Psicopedagoga, Mestranda 
em Ciência da Educação. Autora do Livro: 
“Reflexões de vida em forma de poesia”.
Proprietária da Clínica de Psicanálise e
Psicopedagogia em Divino-MG. 
Tel. para contato: (32)99991-1998